Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

Industrializar em Concreto 5 - agosto de 2015

ACONTECE NO MUNDO

ABCIC consolida relacionamentos em vários fóruns internacionais para reforçar inovação do setor

Depoimento de Íria Doniak sobre diversas atividades realizadas na Europa, nas quais ela representou a Abcic em diferentes fóruns de discussão de temas relativos ao mercado de pré-fabricados. 

Edifício Habitacional pré-fabricado, incluindo as sacadas, na Dinamarca.

Quando visitei a Dinamarca pela primeira vez, estava iniciando o curso de Engenharia, tinha 17 anos e integrava um programa cultural que se encerraria na Inglaterra. Copenhage me fascinou especialmente pelo arrojo e ousadia das formas, da arquitetura e especialmente de como faziam o uso dos tijolos cerâmicos. Voltar lá agora, muitos anos depois, e encontrar uma cidade moderna, que transita do antigo ao contemporâneo em espaços urbanos fantásticos e completamente integrados ao ser humano e natureza, com uma arquitetura incomum foi uma surpresa indescritível especialmente combinada com um alto grau de industrialização e aplicação das estruturas pré-fabricadas de concreto, em um índice superior a 80%. 
Uma vez defini a Finlândia como "Precastland" e a Dinamarca não é diferente. Especialmente me chamou atenção a forma de tratar os espaços, a habitação e a questão social de forma completamente integrada, um exemplo a ser seguido por nossos urbanistas e governantes.


Íria Doniak e Harald Müller, presidente da fib, durante visita ao Karlsruhe Institute of Technology.

Os compromissos que antecederam o Simpósio da fib, compreenderam a reunião do TG 6.5 Pontes pré-fabricadas, realizada nos dias 14 e 15 de maio, cujo escopo foi objeto de matéria da edição anterior da Industrializar em Concreto, no qual a Abcic está representada pelo Engenheiro Fernando Stucchi, mas pela coincidência de data e local participei desta reunião, onde foram apresentados diferentes exemplos de concepção e respectivas considerações de  projetos preparados por integrantes de diferentes países, além de aspectos relacionados a ligações, continuidade e estabilidade lateral. A próxima reunião do grupo irá ocorrer nos dias 3 e 4 de dezembro em Paris.
Dos dias 16 e 17 de maio, os compromissos estiveram relacionados com a Assembleia Geral, na qual a ABCIC foi por mim representada e a ABECE pelo Engenheiro Fernando Stucchi, bem como as respectivas reuniões do Conselho Técnico e Presidium. Uma das visitas feitas pelo Conselho Técnico foi ao Edifício "Bella Sky", obra que foi objeto de capa da primeira edição da Industrializar em Concreto. Quem nos acompanhou na visita foi o projetista da obra, o engenheiro Kaare B. Dahl. Ao término da visita, durante um Happy Hour, Kaare aceitou o convite das entidades Abcic e Abece, para integrar a programação do próximo ENECE (Encontro Nacional de Engenharia e Consultoria Estrutural) que acontecerá em outubro deste ano e incentivamos a participação de todos os associados. Confiram detalhes na seção Agenda, no final da edição. 


Reunião do Grupo de Pontes Pré-fabricadas, que contou com as participações de Fernando Stucchi e Íria Doniak, representando a Abcic.

Inovação assegura competitividade
o Simpósio da fib, iniciado no dia 18 de maio, teve por tema central "CONCRETO - INOVAÇÃO E PROJETO", contou com a apresentação do Professor Mounir Khalil EL Debs, da USP-São Carlos, que a partir de cases nacionais e pesquisa desenvolvidas discorreu sobre parâmetros em ligações semirrígidas em edificações de múltiplos pavimentos. Outro destaque na pré-fabricação em concreto foi o desenvolvimento presente e as expectativas futuras de desenvolvimento das estruturas pré-fabricadas de concreto na China, que, conforme já comentei em edições anteriores da revista, vem se desenvolvendo bastante em algumas províncias e estado que possuem uma política especificamente voltada à industrialização do país. Outros temas como Ciclo de Vida e Durabilidade das Estruturas, são de grande interesse para a atual agenda da ABCIC.
Como lição geral é muito evidente que, apesar da crise global, que começa a apresentar sinais de melhora, a comunidade técnica internacional se reúne e é consenso de que nos momentos mais difíceis, ações voltadas para qualidade e inovação mantém a competividade das empresas e fortalece a interação com o mundo acadêmico, gerando importantes oportunidades de desenvolvimento e crescimento.