Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

Industrializar em Concreto 18 - dezembro de 2019

ABCIC EM AÇÃO

Abcic Networking V e VI reúnem associados para tratar de temas relacionados à inovação e à montagem

Eventos proporcionaram para os participantes conteúdo técnico e qualificado, de interesse para o setor, e relacionamento

Nova solução de transporte de estruturas pré-fabricadas de concreto foi apresentada no Abcic Networking V

Neste ano, foram promovidas quatro edições do Abcic Networking, com o intuito de promover relacionamento e propiciar informação qualificada aos associados da entidade. Os dois primeiros eventos – Networking III e IV - ocorreram no primeiro semestre de 2019, enquanto os dois últimos – Networking V e VI - foram realizados no último dia de julho e no dia 18 de setembro, respectivamente.
Segundo a engenheira Íria Doniak, presidente executiva da Abcic, o Networking tem se apresentado como uma ação importante para o setor, uma vez traz uma oportunidade de todos os players do setor se reunirem, trocarem experiências e se aprofundarem em temas importantes para o dia a dia da industrialização. “O papel da Abcic é trabalhar constantemente para o aprimoramento e desenvolvimento de nosso setor. Para 2020 continuaremos a promover esses encontros porque eles têm sido prestigiados por nossos associados por promover a integração entre todos os elos da cadeia produtiva e tem trazido informação qualificada, o que é muito importante para todos. Já se cogita termos que ampliar o número de edições”.
O Abcic Networking V apresentou uma tecnologia inovadora para o transporte de estruturas: o semirreboque Concrete Loader, da Labor Equipamentos Rodoviários, é ideal para o transporte de estruturas pré-fabricadas de concreto de até quatro metros de altura, incluindo painéis arquitetônicos, escadas e lajes, uma vez que não necessita de licenças especiais, proporcionando segurança, economia e produtividade na operação. 

Profissionais do setor de pré-fabricação de concreto tiveram a oportunidade de assistir uma demonstração da carreta “in loader”, além de conhecer os benefícios desse sistema por meio de casos reais


“Nos últimos dois anos, trabalhamos para desenvolver essa tecnologia, cuja engenharia e fabricação são 100% nacional. Ela tem um conceito diferente, baseado em dois pontos, o primeiro é contribuir para a evolução na engenharia de obras, por meio do desenvolvimento de peças diferentes, já que a carreta permite transportar peças de até 4m de altura e 10m de comprimento em um vão de 1,55m com carregamento e 29 toneladas. Já o segundo é a parte logística, que é bem diferente do convencional”, disse Heberson Cosso, diretor da Labor.
O carregamento das estruturas é realizado em uma prancha na fábrica a qualquer hora, sem necessidade da presença do caminhão. Da mesma forma, o descarregamento não exige a presença de muncks e guindastes antes da montagem. Com sistema de aperto automático eletro-hidráulico para amarração da carga e suspensão pneumática independente (sem eixos), o semirreboque fique a 4 cm do solo na carga e descarga.
Para José Antonio Tessari, presidente do Conselho Estratégico da Abcic, o Networking foi importante porque trouxe um sistema inovador de transporte que pode contribuir com a logística do setor. “É um modal totalmente diferente, que pode ajudar na entrega das estruturas pré-fabricadas de concreto no canteiro de obras, possibilitando transportar com mais segurança e mais agilidade e, ao mesmo tempo, diminuindo os custos”, avaliou.

 

Íria Doniak e José Tessari, da Abcic, receberam Heberson Cosso e Sara Zendi Cosso, da Labor


Responsável pela coordenação do evento, Íria agradeceu a Labor Equipamentos Rodoviários pela apresentação do equipamento e acrescentou que “o semirreboque certamente, vai beneficiar a indústria em termos de produtividade, segurança, qualidade e rapidez”.
Na sequência, os benefícios do sistema de transporte foram evidenciados pela apresentação de diversos cases de duas empresas, a Kronan e a Leonardi Construção Industrializada. Pela Kronan, o gerente técnico Martin Paul Schwark afirmou que a produtividade com o uso desse semirreboque é muito maior, mas que é necessário ter uma outra visão sobre a logística bem com verificar a adequação da solução no transporte das estruturas.
Já Alex Alves, gerente de Produção Industrial da Leonardi, enfatizou o case do Campo de Provas da Mercedes-Benz no Brasil, situado em Iracemápolis, no interior de São Paulo, no qual foram produzidas 844 placas, com dimensões gerais de 3,7m por 5m, espessura variando de 30 à 75cm e peso de 13 à 22 toneladas, que precisaram ser levadas por uma rodovia de alto tráfego. Outros casos apresentados foram o projeto Sirius, com peças cilíndricas de concreto, com 6,5m e seção de 1 x 1m e uma edificação em São Paulo, com três painéis arquitetônicos de arquitetura singular, além de projetos com pilares com seções diferenciadas, com peças frágeis e peças para infraestrutura.