Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

Industrializar em Concreto 17 - julho de 2019

GIRO RÁPIDO

Ambiente colaborativo destaca produtividade e a necessidade de mudanças tributárias

Íria Doniak, presidente executiva da Abcic, ressalta a importância da industrialização na construção

A segunda edição do Ambiente Colaborativo - Indústria da Construção Civil, evento organizado pela ArcelorMittal, no dia 9 de maio, em São Paulo, contou com a participação da Abcic, por meio de presença da Presidente Executiva da entidade, Íria Doniak, que participou de um dos painéis da programação e teve a oportunidade de expor aos presentes algumas considerações e dados sobre industrialização no setor da construção civil e meios de fomentá-la. 
Além das estratégias da associação desenvolvidas para fortalecer o setor de pré-fabricados de concreto, como o Selo de Excelência Abcic, Íria também destacou o Manual da Construção Industrializada, publicação realizada com o incentivo da Associação Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e em parceria com outras entidades representativas do setor da construção. Atualmente, o segundo volume do Manual está em fase de planejamento.   
O destaque de sua apresentação foi ressaltar a importância do evento Ambiente Colaborativo, desenvolvido pela ArcelorMittal em parceria com as entidades e a presença dos clientes do setor, e dar continuidade a pauta proposta na primeira edição do evento que ocorreu em Abril de 2018. 
No evento que discutiu o atual cenário da construção civil no país, a presidente executiva da Abcic fez referência a desafios que se apresentam aos sistemas industrializados. "Ainda é necessário vencer as barreiras culturais e tributárias; precisamos de políticas públicas em prol da industrialização. Algumas entidades, como a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) e a Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (ABRAINC), têm pontuado que agora é o momento de abertura e estímulo da construção industrializada”, comentou. 
A presidente da Abcic também falou sobre oportunidades atuais e boas perspectivas para os sistemas pré-fabricados, favorecidos por mudanças em sistemas de contratação. “Hoje entendemos que algumas dificuldades decorrentes dos longos cronogramas de sistemas financeiros serão substituídas aos poucos por modelos de negócios; é o caso de empreendimentos de co-living e os exclusivos para locação, lançados no mercado com cada vez mais frequência. Isso, com certeza, irá mudar o modelo de financiamento, que se voltará mais ao investimento - como no caso de hotéis e shopping centers - e à produtividade, alcançada somente por meio da industrialização", explicou.                
Corroborando os apontamentos feitos por Íria Doniak, outra participante do mesmo painel, a coordenadora de projetos da Fundação Getulio Vargas (FGV) e colunista da revista Industrializar em Concreto, Ana Maria Castelo, fez considerações importantes sobre tributação e produtividade.  
Entretanto, foi consenso durante todos os painéis do evento que uma nova fase se inicia para a construção civil, não havendo mais espaço para técnicas artesanais. As inovações tecnológicas trazidas pela Indústria 4.0, como maior conectividade, serão absorvidas pela construção civil por meio de sistemas construtivos industrializados, que são baseados em desenvolvimento de técnicas e produtos de ponta e conhecidos também por utilizar matérias primas e materiais de maneira racional, contribuindo assim para outro importante paradigma contemporâneo, a sustentabilidade.              
Para o devido incentivo da construção industrializada no Brasil, mudanças tributárias são imprescindíveis.  “Sabemos que ao descontar o ICMS, as unidades pré-fabricadas passam a ter menor custo se comparadas às feitas no canteiro. É uma distorção muito grande o fato de existir um imposto que desestimula a produtividade trazida pela industrialização e, consequentemente, acaba dificultando a sustentabilidade, já que os sistemas pré-fabricados têm produção mínima de resíduos", concluiu Ana Castelo.
Também participaram desse painel, abordando o desenvolvimento e utilização de novas tecnologias no ramo da construção civil:  Rafael Gazi, assistente executivo da Mercedes-Benz, e o engenheiro Cléber Saccoman, da Global Logistic Properties (GLP).