Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

Industrializar em Concreto 14 - outubro de 2018

ARTIGO TÉCNICO

Artigo Técnico

IMPACTO DA TEMPERATURA SUPERFICIAL DE FACHADAS COM CONCRETO APARENTE SOBRE O DESEMPENHO TÉRMICO DE PAINÉIS PRÉ-MOLDADOS

2. PROPRIEDADES TÉRMICAS DE PAREDES COM PAINÉIS DE CONCRETO
O concreto é um material com massa específica elevada e possui uma condutividade térmica moderada, fazendo com que as paredes de concreto possuam inércia térmica elevada. Isso significa que os painéis de concreto podem absorver o calor durante o dia e liberar lentamente o calor durante a noite, quando a temperatura externa diminui. À noite a temperatura externa esfria as paredes e o painel transfere essa temperatura lentamente para o interior da edificação durante o dia. Esse efeito pode trazer economia de energia, reduzindo a necessidade do uso de sistemas de ar condicionado. Para concretos com massa específica de 2400 kg/m3, a condutividade térmica varia entre γ = 1,75 e 1,80 (W/mK). Buscando a padronização do desempenho potencial de sistemas de vedação aplicados em edificações habitacionais no Brasil, o Ministério das Cidades disponibilizou um catálogo com fichas de desempenho para algumas tipologias de fechamento, conforme apresentado na Tabela 1, incluindo painéis de concreto maciço com espessuras de 10 cm e 12 cm, com valores de transmitâncias térmicas de U = 4,40 (W/m².K) e U = 4,19 (W/m².K), respectivamente.

 

Segundo a ABNT NBR16475:2017 o desempenho térmico do sistema deve atender aos critérios de desempenho estabelecidos em ABNT NBR15575:2013, segundo a qual a avaliação da adequação do desempenho térmico de habitações deve ser feita por dois procedimentos. O Método Simplificado (normativo), estabelece a avaliação analítica dos requisitos e critérios de desempenho térmico para os sistemas de vedação, conforme ABNT NBR15575-4 e ABNT NBR15575-5, considerando condições naturais de insolação e ventilação, onde as fachadas das edificações em seu conjunto - vedação, isolamento e revestimentos, incluindo pintura, devem atender ao requisito de transmitância térmica e capacidade térmica de acordo com os limites apresentados na Tabela 2. Segundo o SINAT (MINISTÉRIO DAS CIDADES, 2012), o memorial do projeto de arquitetura deverá identificar a zona bioclimática da edificação de acordo com a ABNT NBR15220:2005, apresentando o cálculo da transmitância térmica e da capacidade térmica das paredes de fachadas. Os procedimentos de ensaios para determinação da condutância e transmitância térmicas dos materiais de construção estão apresentados na ABNT NBR6488.

Para os casos em que a avaliação da transmitância térmica e capacidade térmica, em função de uma zona bioclimática, resultarem em desempenho térmico insatisfatório, o projetista deverá avaliar o desempenho térmico da edificação como um todo por meio do método da simulação computacional. Neste caso, o software recomendado é o programa EnergyPlus ou software similar que permita a determinação do comportamento térmico da edificação sob condições dinâmicas de exposição ao clima, sendo capaz de reproduzir os efeitos de inércia térmica e validado pela ASHRAE Standard 140 (LAMBERTS, 2016). Entretanto, a análise por meio da simulação numérica não é um procedimento trivial para ser aplicada na prática diária de um escritório de arquitetura, demandando tempo para ser processada. Já o Método de Medição (informativo) permite a verificação do atendimento aos requisitos e critérios estabelecidos na ABNT NBR 15575-1, por meio de realização de medições em edificações ou protótipos. Entretanto, este método não é prescritivo, mas apenas informativo e não sobrepõe aos procedimentos analíticos do método simplificado. A simulação computacional a ser realizada deverá considerar todas as condições e situações reais de projeto, como consideração da zona bioclimática, orientação das fachadas, posição das aberturas, condição de troca de calor horária (ventilação), condições de sombreamento nas fachadas (brises e beirais), consideração da cor da fachada (grau de absorção da irradiação solar na fachada). De fato, como pode ser observado em vários documentos DATec-SINAT existentes para avaliação de desempenho de sistemas construtivos empregando painéis pré-moldados que vários destes documentos apresentam simulações computacionais da edificação onde o desempenho térmico foi aprovado para condições de projeto com a fachada pintada com cor clara (com baixa absorção da luz solar). SACHT (2008) realizou uma série de avaliações de desempenho térmico em painéis de concreto aplicados em edifícios habitacionais com multipavimentos, considerando condições críticas para o verão e para o inverno, onde se observou que dentre as tipologias com painéis de concreto com massa específica de 2400 kg/m3, o painel com espessura 12 cm mostrou-se viável para diversas situações de projeto.