Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

Industrializar em Concreto 21 - dezembro de 2020

ARTIGO TÉCNICO

CONTRIBUIÇÃO AO ESTUDO DE VIABILIDADE DA APLICAÇÃO DE RESERVATÓRIOS EM CONCRETO PRÉ-MOLDADO NA INFRAESTRUTURA URBANA

O objetivo deste artigo é apresentar um estudo de viabilidade econômico-financeira da aplicação do concreto pré-moldado na construção de reservatórios apoiados a ser implementados em uma empresa de saneamento básico, comparando-o com análise da utilização de estruturas de concreto moldado no local. Foram avaliados os reservatórios com capacidades de 2.000 m³, 5.000 m³ e 10.000 m³ e os resultados indicaram que a viabilidade econômico-financeira da aplicação do concreto pré-moldado nessas obras está diretamente ligada à antecipação do lucro operacional no início do fluxo de caixa, ou seja, a redução do prazo de construção se apresenta como elevado potencial para viabilizar o projeto, uma vez que a antecipação da operação do abastecimento de água possibilita acumular um acréscimo de lucro que não seria possível com a alternativa do reservatório em concreto moldado no local. Além disso, através de um conjunto de análises de sensibilidades, foi possível identificar que a diferença entre os prazos de execução dos dois sistemas construtivos e o lucro operacional da concessionária por unidade de consumo (residência) são as variáveis que causam maior impacto no custo anual do projeto, enquanto as variações da vida útil do projeto e dos custos com manutenção resultaram em menor impacto na viabilidade do investimento.

Em que: n é o tempo de duração do projeto (a vida útil do reservatório em estudo), i é taxa de desconto anual (custo de capital sobre o investimento ou taxa mínima atrativa) e VPLc é o Valor Presente Líquido dos Custos descontados a mesma taxa mínima atrativa, incluindo o investimento inicial e custos de manutenção do reservatório.
OBJETIVOS
Este trabalho teve como objetivo geral elaborar um estudo de viabilidade econômico-financeira da aplicação de reservatórios circulares em concreto pré-moldado no sistema de abastecimento de água de municípios brasileiros, em comparação com análises de utilização da estrutura de concreto moldado no local. Além disso, buscou-se realizar a análise de sensibilidade do estudo de viabilidade em relação às premissas adotadas na pesquisa, visando auxiliar a tomada de decisão de um gestor de projetos do setor de saneamento básico.
METODOLOGIA
O objeto de estudo deste trabalho foi o reservatório apoiado, uma vez que, a partir de revisão bibliográfica internacional, foi encontrada uma quantidade maior desse tipo de reservatório construído em painéis de concreto pré-moldado, assim como exemplares de reservatório semienterrado.
A análise de viabilidade da aplicação do reservatório apoiado em concreto pré-moldado foi desenvolvida através do estudo de viabilidade econômico-financeira entre os projetos de estruturas de reservatórios em concreto moldado no local1 e concreto pré-moldado, para os volumes de 2.000 m³, 5.000 m³ e 10.000 m³. Esses volumes foram escolhidos para análise após contato com a equipe técnica de uma empresa brasileira que atua em parceria com empresa europeia de construção de tanques circulares em concreto pré-moldado protendido. Os técnicos dessa empresa informaram que possuíam sistema de fôrmas para produção de painéis de reservatórios com capacidade a partir de 2.000 m³.
Nesta pesquisa, avaliou-se a viabilidade da aplicação dos reservatórios apoiados, considerando as alternativas de construção da estrutura em concreto moldado no local e concreto pré-moldado com vida útil distinta para cada sistema construtivo. As seguintes situações foram consideradas para análise:

  • Cenário 1: O prazo de execução dos reservatórios não foi considerado nesta análise, de modo que, tanto a construção em concreto moldado no local (C.M.L.) quanto em concreto pré-moldado (C.P.M.), apresentaram temporalmente um mesmo ponto de início de fluxo de caixa, ou seja, o início da operação do sistema de abastecimento de água ocorreu no mesmo momento, independente do sistema construtivo escolhido.
  • Cenário 2: Nesta análise foi considerado o prazo de execução dos sistemas construtivos, de forma que a redução do prazo de construção para o reservatório em concreto pré-moldado resultou na antecipação da operação do sistema de abastecimento e do lucro operacional da empresa concessionária de saneamento básico. Nesse cenário, os fluxos de caixa dos dois sistemas construtivos não iniciam ao mesmo tempo e o sistema pré-moldado acumula um lucro operacional inicial, equivalente ao período entre o término da construção do reservatório em concreto pré-moldado e o término do reservatório em concreto moldado no local, que seria uma forma de reduzir o impacto do investimento inicial na aquisição e montagem dos painéis de concreto pré-moldado.
  • Além disso, partiu-se da premissa que a escolha por qualquer um dos sistemas construtivos não causaria impacto na receita do projeto (considerando a mesma tarifa de água em ambos os casos), já que os investimentos do setor de saneamento básico são remunerados através das receitas tarifárias e o valor da tarifa é estabelecido junto à agência reguladora de serviços públicos.
  • A análise do sistema construtivo em concreto moldado no local (atualmente utilizado no Brasil) baseou-se nos seguintes dados:
  • O investimento inicial para a execução da estrutura do reservatório em concreto convencional foi estimado de acordo com os quantitativos dos projetos estruturais-padrão (volumes de 2.000 m³, 5.000 m³ e 10.000 m³) utilizado pela Companhia de Saneamento
  • Básico do Estado de Goiás - SANEAGO S.A. e de acordo com os preços estabelecidos pelo Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI), na referência de 2018.
  • Os registros dos custos de manutenção dos reservatórios não foram encontrados com facilidade, pois esses dados dependem de uma rigorosa estrutura de registros contábeis. Além disso, existe o fato de se verificar que muitas manutenções são realizadas com mão de obra própria da concessionária prestadora de serviço de saneamento, o que dificulta o registro e levantamento dos custos por não ser um serviço contratado, não possuindo registro de faturas e boletins de medição. Para a análise da viabilidade considerou-se, a cada 10 anos no fluxo de caixa, um custo de manutenção estimado em 5% do custo de implantação do reservatório em concreto moldado no local.
  • As recomendações de tempo de vida útil de projeto (VUP) para estruturas correntes são de no mínimo 50 anos, baseando-se nas normas utilizadas na Inglaterra (BS 7543:1992) e (NP EN 206-1: 2007). A norma brasileira NBR 15.575:2013 também estabelece que a VUP para elementos estruturais usuais deve ser de 50 anos, no mínimo. Sendo assim, esse valor de 50 anos foi adotado na análise desta pesquisa como sendo a vida útil mínima da estrutura do reservatório de concreto moldado no local.
  • O prazo de execução da estrutura dos reservatórios apoiados, executados em concreto moldado no local, foi estimado com base nos índices de produtividade de cada atividade necessária para sua construção, conforme valores do SINAPI.
  • A análise do sistema construtivo em concreto pré-moldado utilizou-se das seguintes premissas:
  • Os valores de investimento inicial foram obtidos através de contato com empresa brasileira, que forneceu os preços de fabricação, transporte e montagem dos painéis de concreto pré-moldado protendido para execução dos reservatórios apoiados (volumes de 2.000 m³, 5.000 m³ e 10.000 m³). Foram utilizadas para a análise de viabilidade tanto o valor de investimento com o custo de transporte dos painéis quanto o valor de investimento sem o custo desse transporte no preço de aquisição.
  • A empresa europeia que concebeu o sistema de painéis pré-moldados aplicados nos reservatórios divulga que uma das vantagens de se utilizar o sistema desenvolvido é justamente a ausência de manutenções. No entanto, devido à falta de exemplares e dados disponíveis para comprovar que na prática não serão necessárias despesas com manutenções, considerou-se o custo de manutenção igual a 0,50% do valor de aquisição, a cada 15 anos no fluxo de caixa do projeto.
  • O fabricante do sistema de painéis pré-moldados protendidos divulgou a informação de que a vida útil da estrutura é maior em relação aos sistemas convencionais, sendo a vida útil de projeto, no mínimo, 70 anos. Para avaliar a viabilidade da aplicação do sistema foi adotado, então, um prazo de duração de 70 anos de projeto no fluxo de caixa.
  • Os prazos de fabricação e montagem da estrutura dos reservatórios, construídos em sistema de painéis pré-moldados, foram informados na proposta comercial da empresa fabricante dos painéis.
  • Para avaliação do impacto do lucro operacional antecipado, no início do fluxo de caixa, considerou-se um valor de R$10 por residência atendida na área de influência dos reservatórios analisados.

Deve-se ressaltar que, tanto para a estimativa do prazo quanto estimativa do custo de execução, foram utilizadas como referência somente as etapas de execução após a fundação, já que esta é uma etapa comum em ambos os sistemas construtivos. Não se avaliou, no entanto, a possibilidade de redução de cargas e custo da fundação com o uso dos painéis pré-moldados, pois deveria ser executada a sondagem do solo local, o dimensionamento e projeto da fundação a ser implantada para sustentar o reservatório e isso pode variar significativamente em cada caso.
O Valor Presente Líquido dos Custos (VPLc) e o Custo Anual Equivalente (CAE) de cada fluxo de caixa foram calculados com a taxa de desconto (i) adotada como sendo a taxa mínima de atratividade (TMA) para a empresa concessionária de saneamento básico, ou seja, a weighted average cost of capital (WACC) ou custo médio ponderado de capital. Segundo Neto et al (2008), as condições com que a empresa capta seus recursos financeiros no mercado de capitais estabelece esse custo de capital. O custo médio ponderado de capital (WACC) pode ser interpretado como o retorno mínimo exigido na avaliação econômico-financeira de fluxos de caixa de investimentos e seu valor é dado em porcentagem (%), sendo uma variável característica de cada empresa. O valor de custo de capital adotado na análise desta pesquisa foi de 10% ao ano, que representa um valor hipotético, porém dentro da realidade da média das empresas do setor de saneamento do país.
Com os dados de entrada definidos, foram então calculados os valores de CAE para cada situação (estrutura construída em concreto moldado no local e estrutura de painéis de concreto pré-moldado) e cada volume (capacidades de 2.000 m³, 5.000 m³ e 10.000 m³). É importante destacar que, no caso do concreto pré-moldado, foram feitas as análises de consideração dos custos do transporte dos painéis a uma distância de 1.400 km e análises desconsiderando os custos com o transporte, na intenção de se avaliar o impacto desse item na análise de viabilidade.
Através do levantamento de empresas brasileiras que possuíam em seu catálogo um sistema de construção de reservatórios apoiados em concreto pré-moldado, encontrou-se uma empresa que encaminhou informações do orçamento de uma proposta comercial para os volumes de reservatórios avaliados nesta pesquisa. As informações disponibilizadas, conforme Tabela 1, resumiram-se em preços dos reservatórios, prazos de execução dos painéis e montagem do reservatório e a porcentagem de cada etapa na composição do preço final do reservatório, considerando a distância relativa ao transporte sendo de aproximadamente 1.400 km.