Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

Industrializar em Concreto 7 - abril de 2016

INDUSTRIALIZAÇÃO EM PAUTA

Inovação e Sustentabilidade caracterizam a adoção de pré-fabricado em segmentos que avançam no país

Obras destinadas às áreas de energia eólica, tratamento de rejeitos industriais ou aquelas voltadas para instalações agroindustriais são algumas das novas aplicações das estruturas pré-fabricadas de concreto, que avançam em áreas de obras consideradas especiais e não convencionais

Um dos desafios na montagem das torres eólicas foi a etapa de içamento, pois os módulos das torres chegam a pesar até 200 toneladas cada

Após a consolidação do uso de pré-fabricado de concreto em obras destinadas ao setor industrial, shopping center, centros de distribuição e também nas áreas habitacional, de infraestrutura e até de arenas esportivas, o segmento começa a marcar presença forte no fornecimento para obras consideradas especiais. Construção de torres de sustentação para usinas eólicas, espessadores para rejeitos industriais e instalações para o agronegócio e agroindústria são alguns dos exemplos de utilização de estruturas pré-fabricadas de concreto.
 No caso da energia eólica, o segmento de pré-fabricado ingressa numa das áreas com maior potencial de crescimento no médio e longo prazos. Segundo previsão da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica), está programada a entrada em operação neste ano de 175 novos parques de geração de energia eólica, que se somam aos 342 já em atividade no país.
 Atenta a essa movimentação, algumas empresas de pré-fabricado já desenvolvem produtos e estratégias comerciais para atender a demanda desse nicho. É o caso da Cassol Pré-fabricados, que foi procurada pela WEG Energia para construir uma torre eólica em Tubarão, Santa Catarina. A torre deveria ter 120 metros de altura para sustentar um gerador, rotor e pás, com capacidade para gera 2.1 MW. “Utilizamos todo o nosso know-how em pré-fabricado de concreto, adaptado às necessidades específicas do Projeto Eólico da WEG”, informa Murilo Cassol, diretor superintendente da Cassol.
 Para executar o projeto, a equipe da Cassol foi reforçada com a contratação de profissionais com experiência em torres eólicas, incluindo alguns engenheiros estrangeiros. “A mistura de conhecimento e habilidades foi fundamental neste projeto”, comenta Cassol, acrescentando que a montagem desse tipo de torre demanda requisitos específicos, além de critérios de tolerâncias muito rígidos. “Isso exigiu da empresa o desenvolvimento de ferramentas especiais para atingir as especificações do projeto”, explica.

 


O pré-fabricado se destaca na execução de obras de ampliação da infraestrutura portuária, com a construção de túneis graneleiros no litoral paulista

Outro ponto crítico desse tipo de construção diz respeito à gestão do uso de grandes equipamentos de içamento, uma vez que alguns módulos da torre chegam a pesar até 200 toneladas cada, o que aumenta a preocupação com a questão da segurança durante a montagem. “Um grande diferencial nosso é que podemos montar as partes do aerogerador (nascele, rotor e pás) sem a pós-tensão, logo após o seu empilhamento. Dessa forma, o mesmo guindaste que realiza a montagem dos anéis, monta, na sequência, o aerogerador, reduzindo significativamente os prazos e os custos para o cliente”, observa Cassol. 
 

Torre Eólica Tubarão/SC
Localização: Tubarão, Santa Catarina
Área construída: 100 m² e 120 m de altura
Construtora gerenciadora: WEG Energia
Início da Obra: Outubro de 2014
Término da Obra: Fevereiro de 2015
Concepção e Engenharia: Murilo Cassol
Empresa pré-fabricadora: Cassol Pré-Fabricados