Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

Industrializar em Concreto 20 - outubro de 2020

EDITORIAL

Mola propulsora do desenvolvimento

Apesar da pandemia, a vida segue, com todos os cuidados necessários e com importantes resultados. Considerando o atual momento, a construção civil não parou! 
Juntamente com o agronegócio, é a mola propulsora do desenvolvimento. Apesar de muitos desafios vivenciados ao longo deste período, como a recente alta dos preços dos insumos associada aos longos prazos de entrega, nossa indústria tem estado ativa e nossa entidade em ação para, ao mesmo tempo em que dá o devido suporte, acompanhar e trabalhar nos movimentos que promovem o desenvolvimento tecnológico do setor. 
A sensação que tive ao ler esta edição inicialmente foi de alívio, ao não termos sido paralisados mais uma vez durante uma fase crítica e, também, de satisfação, ao novamente me deparar com a capacidade da nossa indústria no enfrentamento de cenários desafiadores!
Nossa matéria de capa traz o investimento do setor em qualidade, segurança e meio ambiente e no retorno positivo para as empresas que tem trilhado este caminho de fundamental importância para o progresso e a competitividade, atendendo a exigentes padrões que tem possibilitado o  desenvolvimento sustentável. 
As questões previstas em nosso Planejamento Estratégico 2015-2020 estão cada vez mais em evidência e apontam tendências e caminhos para o futuro. Um aspecto que havíamos previsto era a interação da nossa indústria com a impressão 3D em concreto, tema que vínhamos monitorando no contexto internacional e se materializa com o lançamento do HUBIC, uma das matérias relevantes em termos de inovação. A normalização avança e no âmbito da ABNT abordamos agora temas imprescindíveis à segurança de nossas obras. 
A entrevista com José Carlos Martins, presidente da CBIC, destaca a importância do nosso setor como um dos protagonistas da industrialização, mas também como um caminho para o aumento da produtividade na construção civil. A industrialização não se trata apenas de uma via de evolução tecnológica em si, mas de uma discussão tributária importante e de questões como a formalização inclusive da mão de obra. Uma incrível visão que nos traz muitas reflexões.  
Em meio a nossa participação em “lives” e  seminários “online”, continuamos promovendo a disseminação da cultura da pré-fabricação em concreto e a capacitação profissional.
Ainda imperdível estão a coluna da economista Ana Maria Castelo que, apesar de cautela, aponta para a luz no final do túnel, e a visão do empresário Noé Marcos Neto, da Marka, que contextualiza possibilidades futuras e que valoriza as ações da Abcic. O artigo técnico traz a importância da pré-fabricação no contexto da infraestrutura, área de grandes demandas para viabilizar o crescimento do país.
Assim colocamos ao seu alcance mais esta edição. A sabedoria é o conhecimento aplicado. Desejo que todos possam fazer um bom uso de todas as informações.
Grande abraço.

Íria Lícia Oliva Doniak
Presidente Executiva da Abcic
www.abic.org.br