Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

Industrializar em Concreto 1 - maio de 2014

ABCIC em Ação

Propostas para novas normas no setor

Padronização das peças pré-fabricadas de concreto e norma para painéis foram dois temas de estudo lançados pelos participantes do Seminário da Abcic

Claudio Gonçalves e Luis Fernando Neves esclarecem pontos da NBR 16258:2014, que entrou em vigor em fevereiro, a um público de 50 participantes


A entrada em vigor da NBR 16258:2014, nova norma de estacas pré-fabricadas, no último dia 17 de fevereiro, é considerada uma grande conquista para a construção industrializada de concreto. Sua elaboração exigiu um ano e meio de estudos, dezoito reuniões, em um total de 54 horas de trabalho, e contou com a colaboração de 42 profissionais, entre produtores e usuários de estacas. 
“Ela vem se somar a outro momento importante da normalização do setor, que foi o lançamento, no final de 2011, da norma de lajes alveolares. Agora, o próximo desafio é elaborar uma norma para painéis”, afirmou Íria Doniak, presidente-executiva da Abcic, durante o seminário de apresentação dos requisitos da NBR 16258:2014, promovido pela entidade, no início de abril. “É um marco para o Comitê, que vem se empenhando em trazer tecnologia moderna e os melhores controles”, completou Eurico Leite Carvalhaes Filho, coordenador do Comitê de Estacas Pré-fabricadas da Abcic.
Além da sugestão da presidente da Abcic, Cláudio Gonçalves, coordenador da Comissão de Estudos de Estacas Pré-Fabricadas de Concreto, propôs um desafio aos 50 participantes do evento. “Agora que concluímos uma etapa importante para o setor, lanço a proposta de um novo trabalho. Vamos nos reunir para elaborar normas que padronizem alguns itens que compõem as estacas, como por exemplo, os anéis”, disse. Segundo ele, isso representaria uma importante redução de custos para a cadeia, na medida em que os fabricantes de anéis teriam maior agilidade na sua fabricação. “Além dos anéis, podemos pensar em vários outros componentes que poderiam ser padronizados nacionalmente”. 
O desafio lançado foi bem aceito pelos engenheiros, técnicos e profissionais ligados aos fabricantes de estacas pré-fabricadas de concreto presentes no seminário. “Vejo com bons olhos essa intenção de se continuar estudando e de se aprimorar o documento normativo”, avaliou Inês Battagin, superintendente do CB-18 – Cimento, Concreto e Agregados da ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. “Entendo que as normas precisam ser revisadas e aprimoradas, pois a engenharia evolui constantemente”, afirma Walter Roberto Iorio, presidente da Abef – Associação Brasileira de Empresas de Engenharia de Fundações e Geotecnia.
O seminário ainda levou esclarecimentos sobre alguns dos principais requisitos contidos nas 18 páginas da NBR 16258:2014. “Seu objetivo principal não assegurar a qualidade do produto final, definindo critérios para escolha da matéria-prima, de parâmetros de cálculo estrutural da peça, controle de qualidade da fase de fabricação e também em relação à armazenagem, manuseio e transporte das peças”, explicou Luis Fernando de Seixas Neves, secretário da Comissão de Estudos de Estacas Pré-Fabricadas de Concreto.
Também foi informado no seminário que a Abcic solicitou à ABNT uma encadernação especial da norma e a impressão de um número maior de exemplares para distribuir aos interessados, como forma de reforçar o conhecimento da normativa. “É uma iniciativa importante. Precisamos fazer com que a norma chegue às pessoas que utilizam estacas, para que elas saibam que já existe uma padronização e um entendimento de qualidade, para que a norma passe a ser adotada em todas as obras”, conclui Inês.