Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

Industrializar em Concreto 11 - agosto de 2017

DE OLHO NO SETOR

Sobratema Summit evidencia sistemas construtivos industrializados

Claudionel de Campos Leite, da ABDI, mostra as ações que vêm sendo feitas pela instituição para o avanço da industrialização na construção


Abcic apoiou a realização de Seminário que mostrou as ações do governo para fomentar a aplicação dessas tecnologias em canteiros de obras em todo o país
O Sobratema Summit 2017 teve como destaque o Seminário Construção Industrializada, promovido pela Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat), no dia 9 de junho. O evento compôs a Semana das Tecnologias Integradas para Construção, Meio Ambiente e Equipamentos, uma iniciativa da Associação Brasileira de Tecnologia para Construção e Mineração (Sobratema).
Com a participação de engenheiros, técnicos e representantes de construtoras de todo o país, o Seminário Construção Industrializada contou com o apoio da Abcic e foi aberto por Laura Marcellini, diretora da Abramat. “Independente da situação do mercado hoje, existe uma agenda técnica desse setor que está avançando; são questões de alto desempenho de edificações, por exemplo, além de inovação e produtividade. Certamente no próximo ciclo construtivo iremos construir de uma maneira diferente e mais evoluída”. 
O potencial da construção industrializada como desenvolvedora de tecnologia e catalisadora de empreendimentos construtivos chamou a atenção do governo federal, que vem propondo ações para estimular o setor em nível nacional. Claudionel de Campos Leite, coordenador de difusão tecnológica da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) afirmou que a instituição tem programas de difusão tecnológica dentro da construção civil por meio de produtos inovadores, sendo um deles o estudo dos sistemas industrializados. “Mesmo com toda a questão da transição de poder, a agenda segue forte e bem apoiada dentro da casa”, ressaltou.  


Laura Marcellini: “Certamente no próximo ciclo construtivo iremos construir de uma maneira diferente e mais evoluída”


Assim, em 2015 foi lançado o primeiro volume do Manual da Construção Industrializada. “O objetivo é oferecer um conjunto de informações para orientar as práticas de planejar, projetar, contratar, fiscalizar e aceitar obras. Não pretendemos priorizar determinado sistema industrializado, portanto pode ser aplicado em qualquer processo de contratação. O Manual ainda traz as etapas do processo em forma de checklist, pois tem o objetivo de ser uma ferramenta prática para o crescimento do setor da construção industrializada no Brasil”, explicou Claudionel.   
Durante sua apresentação, o coordenador da ABDI recordou que a agência já realizou estudos sobre esses sistemas e reconhece seus benefícios. “Entre 2009 e 2011, fizemos uma série de boletins sobre edificações em parceria com a Unicamp, também realizamos o panorama do setor na época, além de estudos de prospecção feitos com a CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências) e outros órgãos privados; consideramos na ocasião o processo industrializado como modelo a ser seguido”.  
O Seminário também teve uma apresentação sobre a construção industrializada de concreto. João Carlos Leonardi, diretor da Leonardi, mostrou como o segmento tem atuado fortemente para atender as necessidades da área da construção civil. “A primeira fase da pré-fabricação de concreto veio para trazer velocidade para as obras, por conta de grandes demandas que só conseguiam ser atendidas com a industrialização. Num segundo momento houve a necessidade de mais qualidade para as construções convencionais e finalmente, numa terceira fase, a necessidade por flexibilidade. Hoje, além de tudo isso, o mercado exige estética diferenciada, alto desempenho e personalização de projetos arquitetônicos". Em tais projetos, fachadas curvas e estruturas mistas desafiam engenheiros e construtores, embora Leonardi alerte que “a ideia de que elementos industrializados encarecem o empreendimento já está ultrapassada”. 
Leonardi também ressaltou as atividades que a Abcic promove para a evolução do setor, como o Prêmio Obra do Ano e o Selo de Excelência Abcic. “Com a normalização, os profissionais do setor e clientes têm segurança e clareza ao utilizar o sistema”, finalizou.