Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

Industrializar em Concreto 14 - outubro de 2018

EDITORIAL

Transformação e oportunidades

Prezados Leitores,

Esta edição mais uma vez demonstra a resiliência de nosso setor. Também um leque de novas oportunidades, quer nas obras que vem sendo edificadas, quer nas ações institucionais. O primeiro destaque é para as inovações e uma nova geração que vem com propostas mais ousadas e sempre para tornar ainda melhor o que as anteriores já conquistaram. Impressionaram-me os anúncios de nossos oferecedores, as empresas de pré-fabricados que oferecem a Industrializar em Concreto ao mercado. Mesmo com a crise, as indústrias se superam, oferecem novas soluções e comemoram seu tempo de existência no mercado, fazendo com que a média da idade de nossas indústrias e a experiência seja cada vez maior. 
Acreditamos no país, ainda que tenhamos um cenário de tantas incertezas, conforme pudemos debater a partir da síntese apresentada pela economista Ana Castelo (FGV), na tarde de relacionamento que promovemos entre associados e entidades parceiras – Abcic Networking, um conceito criado para que possamos interagir ainda mais e desfrutar dos espaços da nossa nova sede.
Em novos fóruns, como o “Do Mesmo Lado”, criado no primeiro semestre pela ABRAINC (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias), temos a oportunidade de debater questões importantes para a industrialização. Um antigo pleito nosso é a questão tributária que, especialmente no caso de edifícios residenciais, pelo longo prazo de financiamento e o próprio sistema financeiro, não se via a velocidade de entrega, nossa maior vantagem e uma grande alternativa, pois o cronograma de construção precisava ser proporcional ao longo prazo do sistema financeiro, que é uma característica de nosso país. Por outro lado, vemos que o mercado está em transformação, a Indústria 4.0 traz novas propostas, as cidades inteligentes, o novo perfil do consumidor- a nova geração que vem com uma proposta de mais integração e compartilhamento e menos necessidade de posse de bens. Tudo isso faz com que as empresas prestem atenção para este novo momento que é transversal a todas as áreas da empresa. Em especial para o nosso setor, inovador por natureza, temos novas oportunidades, pois há uma tendência de cada vez mais se construir edifícios residenciais para locação, o que rompe com o sistema atual, fazendo com que a velocidade de construção seja tão interessante quanto nos mercados tradicionais em que já estamos consolidados.   
Além do Ponto de Vista, com o Arquiteto Fernando Forte, o artigo técnico traz importantes informações sobre os painéis com relação ao desempenho térmico. Gostaria de destacar o evento da “Coalizão pela Construção”, inciativa da  CBIC, apoiada por entidades representativas da construção civil, inclusive a ABCIC. Nosso objetivo não é fazer política, mas principalmente evidenciar em nossa sociedade a importância da construção civil, pujante, moderna, com inúmeras possibilidades, caso contrário mais uma vez ficaremos para trás em relação a outros setores da economia, sem políticas claras e considerado um setor artesanal, que não tem necessidade de estar no ciclo de produtividade e anda sempre à margem de outros pleitos. Parafraseando o presidente da CBIC, o nosso amigo José Carlos, “se representamos 8% do PIB do país, somos geradores de emprego e questões básicas como educação, moradia e mobilidade urbana possuem soluções que necessariamente passarão pelo nosso setor. Precisamos de incentivos e apoio nesta mesma proporção”. 
Que possamos votar de forma consciente! Que Deus abençoe a nossa nação! Boa leitura!
 
Íria Lícia Oliva Doniak,
Presidente Executiva da Abcic