Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

Industrializar em Concreto 1 - maio de 2014

Industrialização em Pauta

Verticalização em pré-fabricado de concreto

Com um projeto de vanguarda em termos estéticos e estrutura construída totalmente em pré-fabricado, o Bella Sky Conwell Hotel foi vencedor do 2014 fib Awards for Outstanding Concrete Structures na categoria de edificações, uma das mais importantes premiações do setor do concreto no mundo

Uma obra de arte. Essa definição resume a genialidade do Bella Sky Conwell Hotel, situado em Ørestad, em Copenhague, capital da Dinamarca. Projeto da Ramboll e arquitetura da 3xN, o empreendimento possui duas torres de 23 andares inclinadas em 15 graus em direções opostas e ligadas por uma ponte e foi construído em sua totalidade com estruturas e elementos pré-fabricados de concreto, incluindo os painéis, vigas, colunas e lajes alveolares
A escolha pelo pré-fabricado como sistema construtivo foi motivada pelos ganhos que ele ofereceu a construção, incluindo a redução de prazo para a construção da obra, a transferência de trabalho no local para a fábrica, ganhando qualidade, menor custo e mais segurança para os trabalhadores e a obtenção de um tempo menor para a cura antes da entrada dos acessórios internos.
Além disso, de acordo com Kaare K.B. Dahl, gerente sênior de projetos da Ramboll, responsável pelo projeto do Bella Sky, o uso do sistema industrializado de concreto sempre é considerado na Dinamarca. “Entre 80% e 90% de todos os prédios dinamarqueses foram construídos com elementos pré-fabricados. E os 10% e 20% restantes têm em sua estrutura algum elemento pré-fabricado”, explica. “Em outras partes do mundo, diferentes tipos de sistemas construtivos prevalecem. Eu acredito que o pré-fabricado deveria ser considerado, mas é preciso que seja levado em consideração o desenvolvimento da indústria local de pré-fabricados, antes da decisão sobre o sistema”, acrescenta.
Para a construção do Bella Sky Conwell, a Ramboll superou desafios técnicos de diversos aspectos, como por exemplo, as ligações. “Na Dinamarca, há a utilização extensiva de elementos pré-fabricados de concreto para todos os tipos de empreendimentos e, por esse motivo, existe uma variedade de ligações padrão, que foi evoluindo ao longo dos anos”, afirma Dahl. No entanto, em face da grandeza de algumas cargas para a construção das torres, os engenheiros foram obrigados a desenvolver ligações padrão muito além dos limites comuns.
Outro desafio vencido foi a execução, em paralelo dos projetos das estruturas e da arquitetura. “Nós conseguimos ganhar tempo realizando um trabalho simultâneo, no entanto, na prática, isso representou um risco muito maior. Por isso, o melhor caminho, independente do sistema construtivo escolhido, é finalizar o projeto antes da execução”, avalia Dahl. O projeto do Bella Sky também se destaca pelo trabalho em conjunto da engenharia estrutural e da arquitetura para que os conceitos inovadores de estética e design fossem realmente aplicáveis. “Para que o empreendimento obtivesse o sucesso, nós precisávamos estar envolvidos já na fase do projeto arquitetônico para que os desenhos feitos pelos arquitetos se transformassem em um projeto aplicável na construção”, acrescenta. 
O Bella Sky Conwell foi vencedor do 2014 fib Awards for Outstanding Concrete Structures, na categoria de edificações, uma das mais importantes premiações do setor do concreto no mundo, concedida pela fib – the International Federation for Structural Concrete (Federação Internacional do Concreto). “Esse foi o projeto dos meus sonhos. Minha equipe e eu estamos muito orgulhosos de receber essa premiação. Todos os dias pela manhã, indo para o trabalho, olho para o Bella Sky com admiração, contemplando a grande tarefa que nos propusemos a fazer e fizemos”, finaliza Dahl, cujo artigo, editado nas páginas seguintes, traça um roteiro pormenorizado da obra, suas peculiaridades e desafios.