Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

Industrializar em Concreto 17 - julho de 2019

ARTIGO TÉCNICO

ANÁLISE DE REQUISITOS DE HABITABILIDADE DE PLACAS DE CONCRETO ALVEOLAR EM SVV DE EDIFICAÇÕES

Letícia Diniz de Farias - Acadêmica de Arquitetura e Urbanismo, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo/RS. Email: ldfarias@edu.unisinos.br
Paulo Eduardo Mezzomo da Silva - Engenheiro Civil, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo/RS. Email: pmezzomos@unisinos.br
Rafael Ferreira Heissler - Mestre em Arquitetura e Urbanismo, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo/RS. Email: rheissler@unisinos.br
Maria Fernanda de Oliveira - Doutora em Engenharia, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo/RS. Email: marion@unisinos.br
Bernardo Fonseca Tutikian - Doutor em Engenharia, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo/RS. Email: bftutikian@unisinos.br
Luiz Livi - Engenheiro Civil, Consultor em Pré-fabricados de concreto (Cassol Pré-Fabricados) e membro da Diretoria da ABECE (Associação Brasileira de Consultoria e Engenharia Estrutural), Curitiba/PR. Email: livi@portoweb.com.br
 

A cada dia torna-se mais presente o conceito e a materialização da sustentabilidade, através, principalmente, da construção de edificações que tenham um desempenho habitacional eficiente, gerando um impacto reduzido no meio em que estas se encontram e às pessoas que as habitam. Uma das principais formas de equiparar essa eficiência se dá através do atendimento à Norma de Desempenho ABNT NBR 15575:2013, a qual aponta parâmetros e exigências para os sistemas construtivos empregados em edificações residenciais feitas no Brasil. Com a evolução das formas de construções no país a partir do final da década de 1980, principalmente nos quesitos de racionalidade em obras de grande escala, verifica-se um crescimento nos sistemas modulares pré-fabricados, tais como painéis de concreto alveolar. Este sistema vem ganhando destaque por apresentar propriedades que podem caracterizar sua eficiência, ocasionada pelos vazios internos das peças, assim como a sua composição em concreto usinado com elevada densidade, o que pode indicar uma maior eficiência no isolamento térmico, pela presença dos vazios, e acústico, devido a elevada massa do sistema construtivo. Considerando o exposto, este trabalho visa analisar requisitos de habitabilidade do sistema de vedação vertical (SVV) composto por painéis em placa de concreto alveolar, tendo como foco a avaliação do desempenho térmico e acústico, conforme a ABNT NBR 15575:2013. Para isso, os critérios e procedimentos de estudos estabelecidos foram seguidos como diretrizes para a realização da avaliação de desempenho. Os resultados possibilitaram classificar níveis de desempenho para a amostra conforme a ABNT NBR 15575 (ABNT, 2013), sendo observado um desempenho térmico satisfatório, porém com ressalvas, e um desempenho acústico atendido em todas as situações previstas na norma atual de desempenho.

1. Introdução
O consumo crescente do concreto foi evidenciado globalmente após a Segunda Guerra Mundial, tendo como necessidade principal a reconstrução de cidades atingidas pelos confrontos. O concreto, por si só, ganhou grande espaço na cena da construção mundial devido à sua resistência a agressividades de âmbito natural ou mecânico, tendo como contraponto ao uso o seu tempo de cura e o elevado consumo de matérias-primas para a sua confecção.
Próximo ao final da segunda Revolução Industrial, em meados de 1950, quando houve a substituição gradual das atividades exercidas pelo homem por mecanismos automatizados, o aumento dos impulsos tecnológicos e um estímulo ao desenvolvimento na área da construção civil. A construção carecia de soluções para problemas como produtos sem controle qualidade, falta de mão de obra especializada, desperdício de materiais e déficit financeiro na economia mundial. Com isso, houve o desenvolvimento de empresas especializadas em sistemas estruturais em concretos pré-fabricados, ou seja, que empregam o uso de elementos de concreto fabricados fora da sua posição definitiva de utilização. (EL DEBS, 2017)
Esse método construtivo se sobressaiu ao tradicional de uma forma substitutiva e não realmente programada, e foi ganhando cada vez mais espaço no mercado mundial e nacional. Hoje, no Brasil, esses sistemas construtivos têm seu uso com crescimento gradativo, de forma lenta se comparado com demais países, e isto se dá devido ao conservadorismo cultural, bem como pela incidência de elevadas tarifas tributárias nacionais que não incentivam o uso de elementos pré-fabricados. Porém, segundo dados da FGV de 2013, esses índices vêm apresentando mudanças ocasionadas por investimento em elementos e em estruturas pré-fabricadas, para que haja um controle tecnológico mais rigoroso das peças e um menor desperdício de matéria-prima, gerando uma execução mais precisa, ágil e limpa. O desenvolvimento desse mercado contribui para o desenvolvimento socioeconômico. 
Com a evolução do sistema construtivo pré-fabricado, tem-se a necessidade de se conhecer melhor suas propriedades construtivas de forma mais rigorosa, com o intuito de possibilitar, cada vez mais, o uso de materiais de melhor desempenho e que colaborem com aspectos sustentáveis no segmento da construção, bem como oferecer uma melhor qualidade de vida às pessoas que usufruem destas edificações.
Materiais como painéis de concreto apresentam uma grande parcela da produção das empresas de pré-fabricados, como painéis em concreto alveolar, sendo semelhantes aos tradicionais, mas com a presença de cavidades em seu interior, criando vazios na sua estrutura. Essa configuração, inicialmente criada para reduzir o peso final do elemento construtivo, apresentou-se também com característica apropriada para ocasionar um melhor desempenho térmico ao referido material, utilizado tanto como elementos de divisão entre pavimentos (lajes) como também como sistema de vedações verticais (SVV). 
Dessa forma, as cavidades apresentadas no painel, formadas pelos vazios dos alvéolos, apresentam potencial para a qualificação do isolamento térmico do sistema e a elevada massa do sistema apresenta potencial de incrementar o isolamento acústico.