Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

Industrializar em Concreto 23 - setembro de 2021

PONTO DE VISTA

Construção civil precisa se movimentar na direção da digitalização e da transformação digital

Sergio Scheer 
Presidente da ANTAC

Para promover ganhos de produtividade e competitividade no setor de construção civil brasileira, o Ministério da Economia lançou em 2019 um edital de Chamamento Público, com nove objetivos específicos. A vencedora da licitação, a Rede Catarinense de Inovação (Recepeti), instituiu Grupos de Trabalho Consultivos (GTC) para cada meta. No caso da número 8, que trata da identificação e adequação de regulamento técnico para incentivo à coordenação modular, a coordenação do GTC está a cargo do engenheiro civil Sergio Scheer.
Presidente da Associação Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído (ANTAC) e vice-presidente do BIM Fórum Brasil (BFB), Scheer publicou mais de setenta artigos em periódicos especializados e cerca de trezentos trabalhos em anais de eventos e possui dezoito capítulos de livros e sete livros editados. Ele é especialista em aplicações computacionais, ambientes virtuais para projetos colaborativos, tecnologias da informação e da comunicação (TIC) e Building Information Modeling (BIM), além de atuar na área de ciência da computação, com ênfase em processamento gráfico (Graphics), visualização e interfaces de colaboração.
Conforme o edital, o trabalho do GTC para atender a Meta 8 é desenvolver dois produtos: um mapa relacional de normas brasileiras que possam ser alteradas para inserção da construção modular e a proposição de um conjunto de textos base para subsidiar a redação das normas selecionadas. 
Em entrevista para a Industrializar em Concreto, Scheer trouxe mais informações sobre o trabalho promovido no âmbito da Meta 8 e a participação da Abcic neste contexto. Ele avaliou o cenário da construção civil, da aplicação de novas tecnologias e do papel do BIM no setor e analisou a relação da produtividade com a industrialização. “A industrialização no setor da construção civil permite o aumento da produção com um maior controle da qualidade do que algo que é realizado diretamente em um canteiro de obras”, disse. A seguir, estão os principais pontos abordados pelo coordenador do GTC:

Qual sua avaliação do cenário atual da construção civil no país?
A construção civil tem demonstrado uma capacidade de resiliência no cenário adverso da pandemia. No setor há mais de 125 mil empresas levantadas na Pesquisa Anual da Indústria da Construção (PAIC, 2019) do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), divulgada em junho de 2021, movimentando algo como R$ 288 bilhões, uma bela fatia do PIB (Produto Interno Bruto). De fato, há sinais de boa movimentação nos canteiros de obras e, sobretudo, com as devidas e necessárias precauções sanitárias sendo tomadas.
Todavia, ainda temos muito espaço para tratar processos construtivos com maior racionalidade que pode levar a maior produtividade nos serviços e incremento de economicidade e melhores resultados em qualidade, tempo e custos. O setor precisa ser e estar mais competitivo.

Como analisa o avanço da tecnologia e inovação na construção civil no país?
Tenho visto muitas notícias e inúmeros eventos tratando de casos de empresas que vêm desenvolvendo e aplicando produtos e processos com algum grau de inovação. Contudo, em que pese esforços de incorporação de novas técnicas, produtos e métodos alternativos, predominam processos tradicionais e antigos para a execução de obras. A construção civil ainda reluta na incorporação de novidades e no investimento para obter produtos, serviços e processos mais inovadores. Ele é um setor muito tradicional e precisa se movimentar na direção da digitalização e da transformação digital. Temos que incentivar muito o espírito inovador para o segmento. Nesse sentido, por exemplo, o BIM vem sendo encarado como mais uma inovação no setor e precisa ser incorporado de forma ampla, acelerada e inteligente. É necessária a promoção de uma mudança cultural nesse segmento dos negócios.