Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

Industrializar em Concreto 14 - outubro de 2018

INDUSTRIALIZAÇÃO EM PAUTA

Pré-fabricado de concreto avança para novos horizontes

Consolidado no país, o sistema construtivo está ampliando sua participação tanto em grandes obras como em projetos de menor porte, mas com conceito arquitetônico diferenciado, principalmente em empreendimentos residenciais e comerciais

Todos os edifícios-garagens do Grand Reserva Paulista estão sendo construídos com pré-fabricado de concreto

Grand Reserva Paulista - Edifícios-garagens
Localização: São Paulo, São Paulo
Área construída: 71.110 m²
Construtora gerenciadora: MRV Engenharia
Início da obra: 2017
Término da obra: 2022
Projeto Arquitetônico: Candusso Arquitetos
Projeto Estrutural: Jefferson Dallagnol; Ana Thereza Z. Lessa Mendes; Clair Marcelo Silva
Empresa pré-fabricadora: Marna Pré-Fabricados
Volume de estrutura de pré-fabricado: 11.770 m³
 

Um sistema construtivo altamente racionalizado, que beneficia a área da construção civil com práticas e conceitos industriais, visando o aumento de produtividade, sustentabilidade, competitividade e rentabilidade. Essa característica contribuiu para que as estruturas pré-fabricadas participem de maneira robusta em diferentes áreas, desde a indústria, o varejo, a construção de shopping centers e de centros de distribuição e logística, passando pelos segmentos comercial, residencial e imobiliário, até projetos de infraestrutura viária, aeroportuária, portuária e de energia, de complexos esportivos, do agronegócio e obras especiais.
“Essa aplicação diversificada mostra o valor agregado aos clientes e é consequência de como esses segmentos valorizam questões como ter processos definidos e automatizados, controle de qualidade e rastreabilidade, especialização da mão de obra, uso intensivo de tecnologia na produção e no canteiro de obra”, afirma Íria Doniak, presidente executiva da Abcic. 
“A versatilidade da pré-fabricação em concreto, na essência – a industrialização em concreto, que traz não só os elementos prontos de fábrica, mas soluções de engenharia integradas com as necessidades dos arquitetos, construtores e empreendedores – tem possibilitado não somente um importante ganho de produtividade e um grande avanço tecnológico, como cada vez mais inovação em suas formas de utilização. 
É possível tirar partido de critérios tanto estéticos e de função quanto de desempenho quando os profissionais da cadeia da construção civil decidem ousar cada vez mais. É certo que a evolução é sempre decorrente de novos materiais e tecnologias. A “intercambialidade” do pré-fabricado de concreto com outros materiais e sistemas construtivos é outro aspecto que cada vez mais se evidencia e está presente em projetos com conceitos de sustentabilidade. As indústrias já incorporaram concretos de alto desempenho, auto-adensável, protensão, novas ferramentas de projeto e automação, que se constituem em campo fértil para um maior desenvolvimento na medida em que importantes demandas batem à porta”, ressalta Íria.
Todos esses benefícios citados estão contribuindo para que o segmento avance cada vez mais nesses setores, mas também que novos horizontes comecem a ser explorados pela indústria. Um exemplo da força do pré-fabricado de concreto é o projeto Grand Reserva Paulista, considerado o maior empreendimento da história da MRV Engenharia, com investimentos na ordem de R$ 1 bilhão. 
A construção do complexo residencial teve início em março de 2017 e a previsão de conclusão é de cinco anos. Localizado em uma área estratégica no bairro de Pirituba, em um terreno de 180 mil m², contará com 555.000 m² de área construída. Serão 51 torres – 48 com 18 pavimentos e três prédios com 16 andares – distribuídas em 25 condomínios, que totalizam 7.296 unidades. O projeto conta também com três centros comerciais, um Centro de Educação Infantil (CEI) que atenderá 250 crianças da região, uma nova base administrativa da Policia Militar.  
Os prédios do Grand Reserva Paulista têm projetos contemplando três sistemas construtivos, sendo um deles a construção industrializada de concreto. “Os edifícios-garagem, todos em estrutura pré-moldada, utilizam vigas protendidas, painéis pré-fabricados e lajes alveolares. Uma vez que essas unidades necessitam de montagem e movimentação de peças de concreto no canteiro, a logística complexa demanda guindastes e veículos de grande porte”, afirma Claudio Pires Costa, gestor executivo e obras da MRV Engenharia.